Grandes Nomes da Coloproctologia

Frederick Salmon (1796 – 1868)

Por: Fábio Guilherme Caserta Maryssael de Campos



A importância histórica de Frederick Salmon se refere ao fato de ele ter sido o fundador do Hospital St. Mark’s em Londres, local responsável pela formação e especialização de numerosos coloproctologistas no mundo. Em sua biografia, destacam-se também algumas produções científicas e sua postura crítica aos grandes colegiados médicos na época. Sua vida foi retratada por personalidades como Gabriel, Dukes e Morson.

Nascido em Bath (Inglaterra) em 1796, Salmon lá iniciou seus estudos médicos, mudando-se para Londres onde prosseguiu suas atividades como estudante de medicina no Hospital St. Bartholomew, qualificando-se em 1817 e sendo subsequentemente designado como House-Surgeon nessa mesma instituição. Iniciou a especialização em cirurgia em 1827, quando foi nomeado para o posto de cirurgião no General Dispensary da Aldersgate Street, mas renunciou em I832 (junto com o restante dos médicos), devido a discórdias com o Comitê Organizador. Por isso, sempre foi reconhecido como um dos líderes que lutavam por reformas radicais na prática médica. Convidado para proferir a palestra anual da Sociedade Médica de Londres em 1833, Salmon claramente expressou seu descontentamento com a administração do Royal College of Surgeons e do College of Physicians.

Seu interesse em doenças retais o levou a escrever monografias sobre estenoses retais (4 edições entre 1828 e 1833) e um livro sobre prolapso retal (Practical Observations on Prolapse of the Rectum) em 1831. Em artigo publicado no Lancet in 1830 ("An Extraordinary Instance of Stricture at the Sigmoid Flexure of the Colon in a Female with a Communication between the intestines and Bladder"), Salmon certamente descreve um caso de diverticulite com fístula colo-vesical. Essas obras foram publicadas numa época em que havia grande interesse por doenças retais, devido à prevalência de desordens disentéricas (particularmente a cólera) durante a revolução industrial. Apesar disso, especula-se se alguns tumores foram sido erroneamente identificados como estenoses simples.

Cansado de trabalhar nas condições impostas pelo establishment, seu caráter revolucionário e caridoso certamente influenciou a ideia de fundar sua própria instituição, dando início à 'Fistula Infirmary', que veio a se denominar St. Mark's Hospital. Naquele momento, Salmon desejava melhorar o atendimento e se especializar em afecções retais, que eram predominantemente tratadas por pessoas sem treinamento adequado. Originalmente, o hospital foi fundado em um pequeno quarto no número 10 da Aldersgate Street onde, em 1835, Salmon criou a 'The Infirmary for the Relief of the Poor afflicted with Fistula and other Diseases of the Rectum'. Apesar de ter recebido muito suporte para a fundação da enfermaria, ele enfrentou muita oposição por colegas cirurgiões pertencentes à elite da profissão em Londres. Mas é importante ressaltar que a fundação da enfermaria significou uma grande realização, fruto de sua coragem, perseverança e sensibilidade, especialmente quando lembramos que, naquele momento, ele ainda estava prestes a completar apenas 40 anos de idade.

A enfermaria tinha 7 camas, onde 131 pacientes foram admitidos no primeiro ano. Progressivamente, houve grande demanda pelos serviços da "Fistula Infirmary", e reportes anuais do hospital registram que já nos dois primeiros anos de funcionamento as internações já haviam triplicado. Por isso, 3 anos após a instituição se moveu para outro endereço (Charterhouse Square, 38, com 14 leitos), onde Salmon continuou como único cirurgião por mais 13 anos. Em 1851, houve a aquisição de acomodações em novo endereço (City Road), em que uma reforma disponibilizou 25 leitos. Dessa forma, o hospital foi aberto oficialmente no dia 25 de abril de 1854 (St. Mark's Day), sendo a partir daí conhecido como "St. Mark's Hospital for Fistula and Other Diseases of the Rectum." Como grande parte do suporte financeiro foi oferecido pela Prefeitura de Londres, devido à gratidão do prefeito Lorde Alderman William Taylor Copeland a Salmon como médico, o prefeito tornou-se o primeiro Presidente do hospital. Nesse endereço, o hospital sofreu diversas reformas e expansões, com aumento significante do número de leitos e espaço de trabalho (Figura 1).



grandes_nomes_salmon

Figura 1. St. Marks Hospital. Edifício em City Road, Londres

Outro motivo que contribuiu para a inauguração do St. Marks foi o desenvolvimento das especializações médicas, característica daquela época, que suscitou a fundação de vários pequenos hospitais em Londres, dedicados ao estudo de doenças especiais. Além disso, Salmon exibia grande popularidade em sua atividade privada com os altos escalões da sociedade. Além de membros da magistratura e do prefeito de Londres, destaca-se o novelista Charles Dickens, que contribuiu regularmente para os fundos do hospital durante 25 anos. Após ser operado por Salmon devido a uma fístula anal, o novelista escreveu uma carta em novembro de 1841 em que dizia acreditar que a causa era por ficar muito tempo sentado. Nesse texto, ele faz uma descrição deliciosa dos efeitos da operação…'"But yesterday and the evening before, all manner of queer pains were floating about my illustrious person: now twitching at the calves of my legs, now sticking shadowy pins into the soles of my feet, now entertaining themselves with my knees, now (but not often) shooting through that region which you have made as tender as my heart."

Durante muitos anos, Frederick Salmon foi o único cirurgião do hospital, mas problemas de saúde forçaram a contratação de dois assistentes que permitiram sua aposentadoria em 1859, aos 63 anos. São atribuídos a ele 3500 procedimentos cirúrgicos sem mortalidade, um feito memorável quando se considera que a anestesia ainda estava em seu início e os antissépticos eram desconhecidos. Como uma homenagem e agradecimento à sua benevolência, compaixão pelos que sofrem e dedicação ao hospital, Salmon foi presenteado pelo Comitê Hospitalar com um retrato a óleo. Colocada na entrada do hospital desde então, a pintura sugere um homem dotado de aspecto inteligente e sensível, mas ao mesmo tempo com personalidade, determinação e idealismo (Figura 2).



grandes_nomes_salmon_2

Figura 2. FREDERICK SALMON. Retrato a óleo por Francis Grant, 1859

Mudou-se, então, para sua residência campestre em Ombersley, onde faleceu em 3 de janeiro de 1868, aos 72 anos de idade. Durante toda sua vida, Salmon não recebeu muita atenção em relação a seus escritos e nem apoio da comunidade médica concorrente. Inclusive, seu obituário publicado no British Medical Journal é considerado calunioso. Entretanto, consta dos autos do hospital o seguinte texto em sua memória: "Thus has passed from this world a man whose kindness of heart induced, and whose indomitable perseverance enabled him to found an institution for the relief of the sufferings of his poorer fellow-creatures, which will stand an honourable monument to his memory as one amongst the many noble charities which adorn the metropolis of the country."

Apenas 10 anos após sua morte, o famoso Dr. Joseph M. Mathews ("Father of American Proctology") retornou aos Estados Unidos após sua visita a Londres, onde estudou sob a orientação de William Allingham, um dos sucessores imediatos de Salmon. Credita-se que a inspiração do Dr. Mathews' para devotar toda sua vida profissional à proctologia foi pelo menos parcialmente inspirada pela experiência no St. Mark's Hospital.

Até o final do século 19, uma sucessão de notáveis cirurgiões foram incorporados ao staff do hospital. Coube a William Allingham, transmitir para a posteridade a operação de Salmon para hemorróidas internas em seu livro publicado em 1888. Segundo o autor, Salmon fazia ligadura e excisão das hemorróidas desde a fundação do hospital em 1835. Como um centro de excelência no tratamento de doenças colorretais, o hospital viu florescer grandes médicos que trouxeram muitas inovações e cristalizaram conhecimento ao longo do tempo, qualidades que atraíram visitantes de todo o mundo por muitos anos.

Em 1909 o nome do hospital foi novamente modificado para St Mark's Hospital for Cancer, Fistula and Other Diseases of the Rectum, como reflexo dos interesses da instituição em cirurgia oncológica. A última mudança do hospital ocorreu em 1995, passando a ocupar novas instalações em Northwick Park North.






Fontes bibliográficas

Dukes CE. Frederick Salmon: founder of St. Mark's Hospital, London. Med Hist. 3:312-6, 1959.

Banov, Leon Jr. Frederick Salmon-surgeon who founded St. Mark's Hospital. Dis Colon Rectum. 11(6): 447-51, 1968.

Dukes, C. E.: Frederick Salmon: Founder of St. Mark's Hospital, London. Medical History. 3: 312, 1959.

Gabriel, W. B.: Frederick Salmon, the founder of St. Mark's Hospital, and his ligature operation for internal haemorrhoids. Lancet. 53:559, 1933.

Morson, B. C.: Some prominent personalities in the history of St. Mark's Hospital. Dis. Colon Rectum. 5: 173, 1962.

Obituary: Frederick Salmon, Esq. Brit. M. J. 1:41, 1868.

Salmon, F.: Practical Essay on Stricture of the Rectum. Ed. 4, London, Whittaker, Treacher, and Arnot, 1833, 317 pp.



Outros artigos

Voltar
Scroll to top