Notícias

Cremero entrega carteira a novos médicos e critica pressão do Governo sobre a profissão28/11/2013

"Isso aqui é o verdadeiro mais médico”, disse, no final da manhã desta terça-feira, o presidente interino do Conselho Regional de Medicina de Rondônia, médico Aparício Carvalho, ao presidir solenidade de entrega da carteira de médico a 22 novos profissionais. A frase de Aparício é uma clara referência ao programa do governo federal que prioriza a importação de médicos cubanos em detrimento dos milhares de médicos brasileiros que se formam todos os anos e não contam com a possibilidade de fazer uma residência médica, por falta de investimento do poder público.

Ao lado do secretário-geral interino do Cremero, Ricardo Amaral, Aparício falou aos jovens doutores sobre as dificuldades do início de carreira e lembrou-os que o sucesso do médico só depende dele mesmo. Por isso – disse – sugiro as senhoras e senhores que não parem de estudar e pesquisar. “A gente pensa que sai da faculdade  sabendo muito, mas, na verdade, quando atingimos um determinado conhecimento na prática da medicina, descobrimos que não sabemos tanto assim. Sejam humildes, para continuar aprendendo”,

sugeriu.

Aparício disse que a forma como o Governo concebeu e implantou o programa ‘Mais Médico’ é uma agressão aos médicos brasileiros, mas que isso não deve ser razão de desestímulo aos novos profissionais da medicina. “Médico não é super homem e não vai resolver sozinho as deficiências decorrentes de anos de descaso e abandono com o setor de saúde”. Segundo ele, isso resultou em estruturas de saúde completamente deficientes e caóticas, que apenas a contratação de novos profissionais virá resolver. “Sou médico há 35 anos e me sinto honrado e em estar presidindo provisoriamente o Conselho Regional de Medicina e também me sinto honrado em presidir esta solenidade para entregar a carteira de médicos aos senhores. Eu vos agradeço por esta oportunidade”, afirmou.

Numa breve fala aos novos médicos, o secretário-geral Ricardo Amaral lembrou-os da importância de se respeitar os colegas de profissão e os pacientes. “Devemos estar atento às relações interpessoais com as equipes com quem vamos trabalhar, para evitar atritos e, no pior dos casos, processos. Se agir pautado nesses princípios o novo médico terá chance de ir construindo uma grande carreira na medicina”, reiterou Amaral.

Convidados por Aparício para integrar a mesa que dirigiu os trabalhos, as advogados Maria Pereira e Helena Brandoni, falaram sobre o Código de Ética Médica, observação às resoluções do Conselho Federal de Medicina e à legislação brasileira, para evitar problemas de processos, tanto no CRM quanto na Justiça, “já que hoje a relação médico-paciente pode se enquadrar no Código de Defesa do Consumidor”.

A jovem médica Hialli Cristini Oliveira Chaves disse que pretende ingressar logo no mercado de trabalho, para colocar em prática tudo que aprendeu na faculdade. “Um dos valores que aprendi e que pretendo colocar em prática e proporcionar aos pacientes um atendimento humanizado. Afinal, a recuperação da saúde do paciente deve ser o objetivo final de todo médico”, disse Hialli, acrescentando que, se cada novo médico fizer a sua parte, haverá naturalmente uma melhoria no sistema de saúde. Ela pretende fazer residência médica e se especializar em pediatria.

Fonte: CFM



Mais notícias

Voltar
Scroll to top