Galeria de Livros

Tratado de Coloproctologia

Fábio Guilherme C. M. de Campos, Francisco Sérgio Pinheiros Regadas, Mauro Pinho

Informações:
Palavras chave: Coloproctologia
No tópico “Sumário” verifique capítulo disponível!

Ano: 2012

Comprar


Sinopse

O Tratado de Coloproctologia é uma obra que registra a grande experiência dos membros da Sociedade Brasileira de Coloproctologia no diagnóstico e tratamento das diversas afecções colorretais e apresenta de forma atualizada os principais avanços dos últimos anos nas áreas de técnica operatória, tratamento farmacológico, biologia molecular, imagenologia, anatomia patológica e outros.

Nesse contexto, o presente livro tona-se um marco em nossa especialidade, pois é fruto da contribuição de numerosos especialistas que reuniram em mais de uma centena de capítulos um vasto conhecimento científico que poderá ajudar na formação do estudante de medicina e do médico-residente, mas também poderá servir como fonte de referência para o cirurgião geral e principalmente para o coloproctologista que se dedica à especialidade no dia a dia.

A oportunidade de coordenar esse trabalho é motivo de grande honra e contentamento para os editores e coeditores. Acreditamos que conseguimos reunir nesta grande obra, o conhecimento clássico e o que existe de mais moderno, tornando o Tratado de Coloproctologia, hoje, um grande exemplo da força de Sociedade Brasileira de Coloproctologia.

Fábio Guilherme C. M. Campos
Francisco Sérgio Pinheiro Regadas
Mauro Pinho
Editores do Tratado de Coloproctologia

Apresentação

Caros Colegas,

Nas últimas décadas, todas as especialidades médicas cresceram de maneira vertiginosa em face de numerosos avanços tecnológicos e pesquisas que permitiram a aquisição de um enorme volume de conhecimentos.

Em Coloproctologia, assistimos a uma rápida evolução técnica e do conhecimento científico, caracterizados por inovações na área de imagenologia, por maior compreensão dos fenômenos moleculares e pelo desenvolvimento de instrumentais que nos possibilitam instituir terapias minimamente invasivas em endoscopia cirúrgica e videolaparoscopia, ampliando em grande escala as opções diagnósticas e terapêuticas.

Este crescente acervo necessita ser devidamente registrado para atender a múltiplos benefícios como o estabelecimento de uma base consensual da extensão e dos limites da especialidade, assim como possibilitar aos iniciantes uma literatura específica e integrada de modo a promover um aprendizado adequado.

Assim, uma Sociedade Médica moderna se fortalece muito ao possibilitar a constante evolução e aperfeiçoamento de todos os seus membros, ampliando de forma científica e bem fundamentada os conhecimentos sobre os temas mais importantes da especialidade.

Visando cumprir esse objetivo, temos a enorme honra de apresentar a todos este “Tratado de Coloproctologia”, fruto do trabalho de toda a Sociedade Brasileira de Coloproctologia. A simples constatação do grande número de páginas aqui impressas confirma o crescimento expressivo da especialidade em nosso meio, tornando cada vez mais complexa para o coloproctologista a tarefa de se manter atualizado. Eventuais comparações com livros-texto produzidos algumas décadas atrás revelarão uma grande expansão de cada um de seus temas. Poder-se-á constatar, também, que os capítulos de então (enfocando métodos diagnósticos, estudos da função anorretal, doenças inflamatórias ou câncer colorretal) se transformaram em extensas seções, abrigando cada uma delas um grande número de capítulos versando sobre tópicos inexistentes em passado recente.

Ao longo da elaboração deste Tratado, tivemos o privilégio de realizar um exercício de estruturação do conhecimento atual sobre as doenças do cólon, reto e ânus através da catalogação de seus principais temas e subtemas, buscando apresentar os conceitos solidamente estabelecidos da especialidade, assim como agregar informações sobre conceitos e procedimentos mais recentes, de forma a apontar as prováveis tendências a serem seguidas nos próximos anos.

Estamos imensamente contentes pela honrosa tarefa de coordenar um grande esforço coletivo dos membros da Sociedade Brasileira de Coloproctologia, que generosamente doaram parte de seu precioso tempo emprestando-nos seu conhecimento e experiência na forma de capítulos capazes de levar adiante este projeto. Dessa forma, entendemos que a presente obra pertence a todos nós, e talvez represente hoje o mais forte exemplo da força de nossa Sociedade, baseada em um sólido e extenso conhecimento científico do qual cada um de nossos membros deve se orgulhar.

Gostaríamos também de externar nossos agradecimentos à Editora Atheneu pelo apoio e estímulo que possibilitaram a elaboração deste projeto.

Da mesma forma, cumpre-nos ressaltar e agradecer nossos coeditores por sua importante colaboração na revisão de capítulos, contribuindo para a melhoria da qualidade do conteúdo deste Tratado.

Por último, mas não menos importante, agradecemos nossos familiares e amigos pelo apoio recebido ao longo deste gratificante trabalho.

Fábio Guilherme C. M. Campos
Francisco Sérgio Pinheiro Regadas
Mauro de Souza Leite Pinho
Editores do Tratado de Coloproctologia

Prefácio

Prefácio

Promover, coordenar, escrever e editar um Tratado de Coloproctologia é tarefa para gente grande. Não é à toa que a ela se dedicaram Fábio Campos, Francisco Sérgio Regadas e Mauro Pinho, professores de elevado padrão científico e nomes dos mais significativos da especialidade no Brasil.

Focados em seu objetivo de conseguir algo que contribua ao aprendizado e atualização de todos nós, foram ao fundo do poço e arrebanharam, com refinado senso, os melhores quadros nacionais.

Junto com eles, em uma empreitada laboriosa e cansativa, que durou mais de um ano, alcançaram o porto feliz de seus anseios.

Está, pois, ao nosso alcance e à nossa disposição um Tratado que engloba todo o conhecimento mais moderno que se poderia esperar.

A partir de agora, os especialistas vão se inspirar neste Tratado para expandir seu saber, sanar suas dúvidas, abreviar suas dificuldades.

Comovido e honrado com o convite para escrever estas linhas, estou certo que a Sociedade Brasileira de Coloproctologia saúda o lançamento do Tratado de Coloproctologia como marco singular de sua história e de seu futuro.

Rosalvo J. Ribeiro
Ex-presidente da SBCP

Prefácio

Prefaciar a importante obra, Tratado de Coloproctologia, que ora vem à luz é ao mesmo tempo para mim, razão de muita alegria e honra.

Por assim ser, expresso estes sentimentos à comunidade da cirurgia brasileira e externo aos ilustres editores: Fábio Guilherme C. M. de Campos, Francisco Sérgio Pinheiro Regadas e Mauro de Souza Leite Pinho, e Editores Associados: Carlos Augusto Real Martinez, Sérgio Eduardo Alonso Araújo, Olival de Oliveira Jr., Rodrigo Gomes da Silva, Hélio Moreira Júnior, Rosilma Gorete Lima Barreto, Sthela Maria Murad-Regadas, Eduardo de Paula Vieira e Harry Kleinübing Jr., meus sinceros agradecimentos.

Cabe aqui louvar a expressiva tarefa por eles desenvolvida, desde a cuidadosa elaboração do sumário à criteriosa escolha de autores e coautores, dentre os mais experientes da Coloproctologia, aos temas agrupados em 131 capítulos distribuídos em 13 seções.

É evidente a preocupação dos autores com a informação científica por meio de balanço equilibrado do novo e inovador, com o convencional e consolidado.

De longa data conheço os Editores do Tratado de Coloproctologia, Fábio Guilherme C. M. de Campos, Francisco Sérgio Pinheiro Regadas e Mauro de Souza Leite Pinho.

Deles, sou admiradora e amiga leal. São profissionais com as cabeças sempre fervilhantes de boas ideias e que as põem em prática! Toda a ciência é vã, se não trouxer benefícios ao ser humano tanto na prevenção como na cura de doenças, no alívio do sofrimento quando a cura é impossível, com busca contínua de melhoria da qualidade de vida.

Com os avanços da Informática ocorreu a democratização do conhecimento, oferecendo possibilidade de seu acesso a todos, com oportunidade de aperfeiçoamento. A modernidade expandiu a preocupação com o ensino da Medicina e, particularmente, das especialidades. Assim, a extensão da literatura médica à enorme massa de conhecimentos e de novas habilidades tecnológicas obriga o médico a seguir a corrente do progresso sem perder o rumo de reconstruir conhecimentos contidos em ciências básicas que alicerçam o progresso.

Muito evoluiu a Coloproctologia no decorrer de mais de três milênios. É hoje especialidade reconhecida mundialmente com renomadas sociedades americanas, europeias, asiáticas e australianas. A Sociedade Brasileira de Coloproctologia destaca-se dentre as mais importantes, secundando apenas a americana, contando com mais de 1.500 membros. O Tratado ora prefaciado bem enfatiza o histórico da especialidade e da Sociedade Brasileira de Coloproctologia, além dos temas que complementam o conhecimento fundamental necessário a todos os médicos que pretendem viver a realidade do progresso científico, atualmente impulsionado pela biologia molecular, biotecnologia, genética, nanobiotecnologia e bioengenharia.

Apesar dos avanços da informática e da popularização da internet, da facilidade do acesso à farta literatura científica e dos múltiplos cursos de atualização, de especialização, de treinamento equipamentos e instrumentos inerentes às novas técnicas endoscópicas, laparoscópicas e robóticas, os livros de texto continuam a representar papel preponderante na educação médica. Mais do que nunca, o livro é indispensável pela possibilidade de limitar a literatura, pela concentração dos conhecimentos, pela facilidade do manuseio, de ler e reler, escolhendo-se o que é melhor para determinado momento ou anseio.

Este Tratado contém a participação de 206 colaboradores bem selecionados que sempre revelaram dedicação ao ensino e atenção ao doente e que representam uma enorme força didática que eleva o prestígio da Coloproctologia Brasileira. Sua leitura muito contribuirá para a formação do residente, de jovens cirurgiões e de especialistas em busca de melhor embasar seus conhecimentos científicos.

Por tudo isso, me sinto muito alegre em poder felicitar os editores, editores Associados, autores e coautores dos capítulos pela oportuna e excepcional obra.

Angelita Habr-Gama

Sumário

Seção I – Introdução à Coloproctologia

1. História da Coloproctologia, 3

Flávio Antonio Quilici
José Alfredo dos Reis Neto
Lisandra Carolina Marques Quilici

2. História da Sociedade Brasileira de Coloproctologia, 17

Joaquim José Ferreira
José Maria Chaves Rosalvo José Ribeiro

3. Anatomia Cirúrgica Aplicada às Operações dos Cólons, 23

Flávio Roberto Santos e Silva
Francisco Sérgio Pinheiro Regadas

4. Anatomia Cirúrgica Aplicada às Operações sobre o Reto e Canal Anal, 35

Mauro de Souza Leite Pinho
Luís Carlos Ferreira
Aline Santiago

5. Fisiologia Colônica da Continência Anal e Defecação, 53

Rodrigo Ambar Pinto
Isaac José
Felippe Corrêa Neto

Seção II – Investigação Diagnóstica e Funcional

6. Exame Proctológico – Preparo e Técnica, 65

Karen Mallmann
Ignacio Osorio Mallmann

7. Colonoscopia, 69

Paulo Alberto Falco Pires Corrêa
Pedro Popoutchi
Oswaldo Wiliam Marques Jr.

8. Outros Métodos Propedêuticos – Indicações e Técnicas

1. 8.1. Colonografia por Tomografia Computadorizada (Colonoscopia Virtual), 99

Dario Ariel Tiferes
Angela Hissae Montoyama Caiado

2. 8.2. Ultrassonografia Anorretal, 119

Sthela Maria Murad-Regadas
Graziela Olivia da S. Fernandes

3. 8.3. Ultrassonografia Transperineal, 139

Harry Kleinübing Jr.
Mauro de Souza Leite Pinho

4. 8.4. Manometria Anorretal, 149

Renato Caram Saad

5. 8.5. Tempo de Trânsito Cólico, 171

Mara Rita Salum

6. 8.6. Eletromiografia Anorretal, 175

Jorge Alberto Ortiz
Maria Auxiliadora Prolungatti Cesar

7. 8.7. Defecografia: Indicação, Técnica e Interpretação, 181

Carlos Walter Sobrado

8. 8.8. Ultrassonografia Anorretal Dinâmica (Ecodefecografia), 187

Francisco Sérgio Pinheiro Regadas
Francisco Sérgio Pinheiro Regadas Filho

Seção III – Preparo Pré-operatório

9. Uso Racional de Antibióticos em Operações Colorretais, 201

Paulo Mauricio Chagas
Bruno Rodrigo Ciotola
Bruno Cláudia Mangini

10. Análise Crítica do Preparo do Cólon, 209

Antonio Sérgio Brenner
Sérgio Brenner

11. Prevenção de Tromboembolismo Venoso, 217

Joaquim Simões Neto

12. Avaliação Nutricional e Indicações de Terapia Nutricional, 225

Dan Linetzky Waitzberg
Priscila Garla
Ricardo Alexandre Garib

13. Estratégias para Recuperação Rápida (Fast Track), 237 José Eduardo de Aguilar-Nascimento

Seção IV – Pólipos Colorretais

14. Aspectos Histopatológicos de Importância na Prática Clínica, 249

Marlise Mello Cerato Michaelsen
Luíse Meurer
Nilo Luiz Cerato

15. Aspectos Epidemiológicos, Clínicos e Endoscópicos dos Pólipos Colorretais, 265

e Endoscópicos dos Pólipos Colorretais, 265

Mariza Helena Prado-Kobata

16. Polipectomia: Técnica e Resultados, 277

Eduardo Carlos Grecco
Renato Luz Carvalho
Alex Matsuda Okita

17. Critérios de Vigilância Pós-polipectomia, 291

Afonso Calil Mallmann
Ruy Takashi Koshimizu

18. Conduta no Pólipo Degenerado, 297

Paulo Roberto Arruda Alves
Isabela Cecilio Sahium

Seção V – Câncer Colorretal

19. Epidemiologia e Fatores de Risco, 303

Flávio Ferreira Diniz Francesca Perondi
João Altmayer Gonçalves

20. Aspectos Moleculares da Carcinogênese Colorretal, 313

Mauro de Souza Leite Pinho

21. Estadiamento Anatomopatológico do Câncer Colorretal, 325

Fábio Daniel Molinari
Roberto El Ibrahim

22. Prevenção e Rastreamento do Câncer Colorretal, 331

Angelita Habr-Gama
Fábio Guilherme C. M. de Campos
Rodrigo Oliva Perez
Guilherme Pagin São Julião
Igor Proscurshim
v

23. Aspectos Clínicos do Câncer Colorretal, 339

Marcelo Alves Raposo da Camara

24. Estadiamento Pré-operatório do Câncer Colorretal, 343

Fábio Guilherme C. M. de Campos
Angela Hissae Motoyama Caiado
Rodrigo Ambar Pinto

25. Tratamento Cirúrgico do Cânce

r Colônico: Princípios Técnicos e Resultados, 355

Olival de Oliveira Jr.
Renato Araújo Bonardi

26. Indicações e Resultados do Tratamento

Adjuvante para o Câncer no Cólon, 361

Rodrigo Ramella Munhoz
Paulo Marcelo Gehm Hoff

27. Câncer no Reto: Técnicas Operatórias Fundamentais, 373

Angelita Habr-Gama
Rodrigo Oliva Perez
Guilherme Pagin São Julião

28. Acesso Laparoscópico no Tratamento do Câncer no Reto, 387

Sérgio Eduardo Alonso Araujo
Victor Edmond Seid
Alexandre Bruno Bertoncini
Fábio Guilherme C. M. de Campos

29. Evolução Técnica no Tratamento do Câncer do Reto

1. 29.1. Preservação Autonômica, 399

Pedro Basilio
Marleny Figueiredo

2. 29.2. Anastomoses Colorretais Baixas, 403

Antônio Lacerda-Filho
Leonardo Maciel da Fonseca

3. 29.3. Ressecção Interesfinctérica, 415

José Reinan Ramos

4. 29.4. Colostomia Perineal – Técnica e Resultados, 425

Lusmar Veras Rodrigues
Armando Geraldo Franchini Melani
Carolina Vannucci Vasconcelos Nogueira Diogenes

5. 29.5. Ressecção Transanal Endoscópica: Técnica Operatória, 431

Sérgio Eduardo Alonso Araujo
Victor Edmond Seid

6. 29.6. Ressecção Transanal Endoscópica: Resultados, 437

Caio Sergio Rizkallah Nahas

Sergio Carlos Nahas
Carlos Frederico Sparapan Marques

30. Terapia Neoadjuvante e Adjuvante no Câncer do Reto

1. 30.1. Evolução Histórica das Indicações e Controvérsias, 447

Rodrigo Oliva Perez
Fábio Guilherme C. M. de Campos

2. 30.2. Conduta na Resposta Completa, 455

Angelita Habr-Gama
Rodrigo Oliva Perez
Guilherme Pagin São Julião

31. Aspectos Especiais do Tratamento do Câncer Colorretal

31.1. Princípios e Resultados das Ressecções Alargadas, 463

Fábio Guilherme C. M. de Campos
Maria Celia Calijuri Hamra

2. 31.2. Manuseio da Carcinomatose Peritonial, 469

Rodrigo Gomes da Silva
Bernardo Hanan

3. 31.3. Situações Emergenciais: Obstrução e Perfuração, 479

José Hyppolito da Silva
Fábio Guilherme C. M. de Campos

32. Seguimento Pós-operatório no Câncer Colorretal, 487

Silvio Augusto Ciquini

33. Tratamento Cirúrgico das Metástases Hepáticas do Câncer Colorretal, 493

Renato M. Lupinacci
Fabrício F. Coelho
Marcos V. Perini Paulo Herman

34. Tumores Colorretais Pouco Frequentes, 499

Adriana Lúcia Agnelli Meirelles Costa
Fábio Guilherme C. M. de Campos

35. Estomas Intestinais

1. 35.1. Técnica e Complicações, 511

Victor Edmond Seid
Sérgio Eduardo Alonso Araujo
Fábio Guilherme C. M. de Campos

2. 35.2. Abordagem Multidisciplinar do Ostomizado, 523

Pedro Henrique Saraiva Leão

Seção VI – Câncer Colorretal Hereditário

36. Síndrome de Lynch (SL)

1. 36.1. Histórico, Caracterização Clínica e Aspectos Moleculares, 531

Benedito Mauro Rossi
Fábio de Oliveira Ferreira
Felipe Cavalcanti Carneiro da Silva

2. 36.2. Tratamento Cirúrgico da Síndrome de Lynch, 543

Raul Cutait
Guilherme Cutait de Castro Cotti

37. Polipose Adenomatosa Familiar (PAF)

1. 37.1. Aspectos Moleculares e Clínicos, 547

Mauro de Souza Leite Pinho
Fábio Guilherme C. M. de Campos
Sérgio Eduardo Alonso Araujo

2. 37.2. Manifestações Extracolônicas e Causas de Mortalidade, 559

Fábio Guilherme C. M. de Campos
Rodrigo Blanco Dumarco

3. 37.3. Tratamento Cirúrgico: Racional e Resultados, 565

André da Luz Moreira

38. Polipose Associada ao Gene Myh (PAM), 571

Carlos Augusto Real Martinez

39. Poliposes Hamartomatosas e outras síndromes, 585

Fábio Guilherme C. M. de Campos
Maria Tereza Coimbra Carvalho

Seção VII – Neoplasias do ânus e canal anal

40. Etiopatogenia, Diagnóstico e Estadiamento, 599

Fábio César Atuí

41. Formas de Tratamento – Resultados e Perspectivas, 605

Maurício José de Matos
Silva Maurilio Toscano de Lucena

42. Outros Tumores Anorretais e Perianais, 613

Mario Jucá

Seção VIII – Doenças Inflamatórias Intestinais (DII) e Colites

43. Incidência e Etiologia das Doenças Inflamatórias Intestinais, 619

Anna Paula Rocha Malheiros

44. Aspectos Clínicos e Diagnóstico Diferencial das DII, 623

Sinara Mônica de Oliveira Leite

45. Potencial de malignização nas Doenças Inflamatórias, 637

Afonso Henrique da Silva e Sousa Jr.
Francisco Sérgio Pinheiro Regadas
Fábio Guilherme C. M. de Campos

46. Tratamento Clínico das Doenças Inflamatórias Intestinais

1. 46.1. Tratamento Convencional, 641

Adérson Omar Mourão Cintra Damião
Flávio Feitosa
Luciane Reis Milani

2. 46.2. Terapia Biológica, 651

Magaly Gemio Teixeira
Alexandre Medeiros do Carmo
Maria Fernanda Zuttin Franzini

3. 46.3. Papel da Terapia Nutricional, 657

Maria Isabel Toulson Davisson Correia
Talita Mayra Resende Ferreira

4. 46.4. Fisiopatologia Aplicada à Terapia Clínica, 665

Henrique Sarubbi Fillmann
Heloísa Guedes Müssnich
José Luiz Barbieux

47. Tratamento Cirúrgico da Doença de Crohn

1. 47.1. Princípios Básicos e Indicações Cirúrgicas, 669

Raquel Franco Leal

2. 47.2. Intestino Delgado, 675

Arceu Scanavini Neto

3. 47.3. Tratamento Cirúrgico da Colite de Crohn, 679

Paulo Gustavo Kotze
Idblan Carvalho de Albuquerque

4. 47.4. Doença Perianal, 687

Magaly Gemio Teixeira
Maria Fernanda Zuttin Franzini
Alexandre Medeiros do Carmo

5. 47.5. Videocirurgia, 691

Sérgio Eduardo Alonso Araujo
Antonio Rocco Imperiale
Fábio Guilherme C. M. de Campos

48. Tratamento Cirúrgico da Retocolite Ulcerativa

1. 48.1. Princípios Básicos, Indicações e Opções Cirúrgicas, 701

Desidério Roberto Kiss
Maristela Gomes de Almeida

2. 48.2. Bolsas Ileais: Técnica, Resultados e Complicações, 705

Claudio Saddy Rodrigues Coy
Maria de Lourdes Setsuko Ayrizono

49. Colite indeterminada, 715

Fábio Alves Soares
João Bosco Soares Junior

50. Colites Infecciosas, 727

Manoel Alvaro de F. Lins Neto

51. Colites Isquêmicas, 735

João Batista Pinheiro Barreto
José Ribamar Baldez

52. Retocolite por Irradiação, 741

Magaly Gemio Teixeira
Maria Fernanda Zuttin Franzini
Alexandre Medeiros do Carmo

Seção IX – Doenças Anorretais & Perineais

53. Doença Hemorroidária: Incidência, Etiopatogenia e Aspectos Clínicos, 749

Luciana Maria Pyramo Costa
Thaísa Barbosa-Silva

54. Tratamento da Doença Hemorroidária

1. 54.1. Aspectos Gerais do Tratamento da Doença Hemorroidária, 755

Geraldo Magela Gomes da Cruz

2. 54.2. Tratamento Cirúrgico Clássico: Aspectos Técnicos, 775

Virgínio C. Tosta de Souza
Elísio Meirelles de Miranda
Carlos Roberto Amorim

54.3. Tratamento Cirúrgico pela Anopexia Mecânica, 779

Sergio Carlos Nahas
Marcelo Rodrigues Borba

4. 54.4. Tratamento da Estenose Anal, 787

Geraldo Magela Gomes da Cruz

5. 54.5. Novas Perspectivas de Tratamento Cirúrgico, 799

Eduardo de Paula Vieira

55. Abscessos e Fístulas Anorretais

1. 55.1. Etiologia, Classificação e Investigação Radiológica, 803

Paulo Cesar Lopes Jiquiriçá

2. 55.2. Tratamento Cirúrgico dos Abscessos Anorretais, 809

Ronaldo Coelho Salles

3. 55.3. Tratamento Cirúrgico das Fístulas Anorretais, 813

Edna Delabio-Ferraz
Leonardo Machado de Castro
João de Aguiar Pupo Neto

4. 55.4. Fístulas Retovaginais, 823

Fábio Guilherme C. M. de Campos

56. Fissura Anal

1. 56.1. Incidência, Etiopatogenia e Aspectos Clínicos, 833

Arminda Caetano de Almeida Leite
Geanna Mara Lino e Silva Guerra

2. 56.2. Bases e Resultados do Tratamento Conservador, 843

Juvenal da Rocha Torres Neto

3. 56.3. Técnicas e Resultados do Tratamento Cirúrgico, 849

Olival de Oliveira Jr.

57. Doença Pilonidal Sacrococcígea, 853

Miguel Arcanjo Gialluisi da Silva Sá
André da Luz Moreira

58. Prurido Anal, 871

Magda Maria Profeta da Luz
Sérgio Alexandre da Conceição
Kelly Cristine de Lacerda Rodrigues Buzatti

59. Doenças Sexualmente Transmitidas, 881

Sidney Roberto Nadal
Carmen Ruth Manzione

60. Hidradenite Supurativa, 893

Antonio Rocco Imperiale
Angelita Habr-Gama
Sylvio de Figueiredo Bocchini

Seção X – Doença Diverticular dos Cólons

61. Doença Diverticular dos Cólons: Incidência e Etiopatogenia, 901

Fernando Cordeiro
Flávio Antonio Quilici

62. Orientações Gerais e Resultados do

Tratamento Clínico da Doença Diverticular, 903

Carlos Augusto Real Martinez
Rogério Tadeu Palma

63. Diverticulite Aguda

1. 63.1. Fisiopatologia, Aspectos Clínicos e Bases do Tratamento Conservador, 911

Paulo Gonçalves de Oliveira
João Batista de Sousa
Flávia Berford

2. 63.2. Análise Crítica das Indicações Operatórias, 917

Janedson Baima Bezerra

3. 63.3. Opções Técnicas do Tratamento Cirúrgico, 925

Francisco Jean Crispim Ribeiro
Robert William de Azevedo Bringel
Ana Cecília Neiva Gondim

4. 63.4. Papel da Videocirurgia no Manuseio da Doença Diverticular, 933

Rubens Valarini

Seção XI – Distúrbios da Evacuação

64. Constipação Intestinal

64.1. Incidência, Fisiopatologia e Aspectos Clínicos, 943

Sânzio dos Santos Amaral

2. 64.2. Investigação Racional da Constipação Intestinal, 947

Hélio Moreira Júnior
José Paulo Teixeira Moreira

3. 64.3. Tratamento Clínico, 961

Roberto Misici

4. 64.4. Inércia Cólica: Resultados do Tratamento Cirúrgico, 981

Francisco Sérgio Pinheiro Regadas
Érico de Carvalho Holanda

65. Síndrome do Intestino Irritável, 989

Vilmar Moura Leal
Miguel Augusto Arcoverde Nogueira

66. Defecação Obstruída: Conceito e Abordagem Propedêutica, 999

Rosilma Gorete Lima Barreto

67. Anorretocele: Diagnóstico e Tratamento, 1007

José Vinícius Cruz
Cleber Allem Nunes

68. Prolapso e Procidência Retal

1. 68.1. Etiopatogenia, Aspectos Clínicos e Opções

Técnicas para o Tratamento Cirúrgico, 1015

Peretz Capelhuchnik
Paulo de Azeredo Passos Candelaria

2. 68.2. Resultados do Tratamento Cirúrgico, 1029

Antonio Rocco Imperiale
Carlos Eduardo Fonseca Pires

69. Incontinência Fecal

1. 69.1. Aspectos Clínicos e Etiopatogenia, 1035

Henrique Sarubbi Fillmann
Lúcio Sarubbi Fillmann

2. 69.2. Investigação Diagnóstica, 1045

Doryane Maria dos Reis Lima
Univaldo Etsuo Sagae
Andrea Ishikawa Shiratori

3. 69.3. Tratamento Conservador, 1055

Lucia Camara Castro Oliveira

4. 69.4. Tratamento Cirúrgico da Incontinência Anal, 1067

José Marcio Neves Jorge
Isaac José Felippe Corrêa Neto

70. Megacólon Chagásico

1. 70.1. Epidemiologia, Fisiopatologia e Aspectos Clínicos, 1081

João Gomes Netinho

2. 70.2. Tratamento Cirúrgico, 1087

José Paulo Teixeira Moreira
Hélio Moreira Júnior
Hélio Moreira

Seção XII – Situações difíceis e emergenciais

71. Diagnóstico e Tratamento de Complicações de Operações Colorretais

1. 71.1. Obstrução Intestinal Pós-operatória, 1103

Renato Valmassoni Pinho
Christiano M. P. Claus
Fabiana Marques Fernandes

2. 71.2. Avaliação e Conduta no Paciente com Deiscência Anastomótica, 1113

Júlio César M. Santos Jr.

72. Hemorragia Digestiva Baixa

1. 72.1. Etiologia e Avaliação Diagnóstica, 1119

João Batista de Souza
Romulo Medeiros de Almeida
Paulo Gonçalves de Oliveira

2. 72.2. Tratamento Não Cirúrgico, 1125

Maria Cristina Sartor

3. 72.3. Tratamento Cirúrgico, 1139

Fan

g Chia Bin
Wilmar Artur Klug
73. Endometriose Intestinal

1. 73.1. Critérios de Indicação e Princípios do Tratamento Cirúrgico, 1145

Luciana Maria Pyramo Costa

2. 73.2. Estratégia Operatória na Endometriose Profunda, 1151

Univaldo Etsuo Sagae
Lucia Matiko Takamatsu Sagae
DoryaneMaria dos Reis Lima

73.3 Endometriose Intestinal: Resultados do Tratamento Cirúrgico, 1167

Marcelo Averbach
Sidney Klajner
Sérgio Podgaec
Mauricio Simões Abrão

74. Tumores Retrorretais, 1175

Francisco Luis Altenburg
Carlos Henrique Maçaneiro

Seção XIII – Técnica operatória básica em videocirur

gia75. Colectomia Direita, 1187

José Alfredo dos Reis Neto
José Alfredo dos Reis Junior

76. Aspectos Técnicos da Retossigmoidectomia Videolaparoscópica, 1201

Miguel Ângelo Pedroso
Renato Arioni Lupinacci
Mauro de Souza Leite Pinho

77. Amputação Abdominoperineal do Reto, 1209

Armando Geraldo Franchini Melani
Carlos Augusto Veo
Marcos Vinicius Denadai
Junea Caris de Oliveira

78. Reconstrução do Trânsito Pós-Hartmann, 1215

Lusmar Veras Rodrigues
Carolina Vannucci Vasconcelos Nogueira Diogenes

79. Colectomias Totais, 1219

Luis Claudio Pandini

Índice Remissivo, 1223